sábado, 13 de outubro de 2007

Turismo no Brasil é bom negócio

O setor cresceu quase 14% nos últimos três anos

O Globo

JANYCK DAUDET


Sou um dos muitos estrangeiros que chegam ao Brasil a trabalho e acabam ficando por aqui, acolhidos com carinho e inseridos na vida brasileira. Depois de 12 anos no país, tenho aqui fortes raízes, inclusive uma filha carioca, e orgulhosamente ostento o título de Cidadão Fluminense. Mas o que faz tantos de nós se apaixonarem pelo Brasil é também um importante patrimônio econômico. A associação única de belezas naturais e espírito de alegria faz do Brasil um destino extraordinariamente atraente para turistas de todo o mundo e de todos os tipos. Jovens, idosos, aventureiros, sofisticados, ecologistas, gourmets, esportistas, interessados em cultura popular: todos encontram aqui motivos de sobra para incluir o Brasil em seus planos de viagem.

Entusiasmado com estes atributos, e enxergando neles um enorme potencial de negócio, tenho nos últimos anos me empenhado em sensibilizar a matriz do Club Med a investir cada vez mais no Brasil. E efetivamente já estamos prestes a iniciar a construção de nosso quarto resort do país, na Região dos Lagos, local escolhido em detrimento de outros destinos fabulosos na América do Sul.

Mas o que nos motivou a fazer este investimento não é apenas a beleza natural da região. Com turistas cada vez mais exigentes, condições adequadas de infra-estrutura são fundamentais para assegurar ao país a capacidade de aproveitar o seu potencial natural, a começar pelos transportes. Não há no mundo destino turístico importante que não conte com um aeroporto capaz de absorver a demanda com conforto e segurança.

Neste contexto, a inauguração do novo aeroporto de Cabo Frio, com a construção da nova pista e ampliação das instalações, que o tornam apto a receber turistas de qualquer parte do mundo, é um marco importante para o crescimento do turismo não só na região mas em todo o Brasil.

Investimentos como este são bemvindos pela indústria do turismo, necessários para o país e demonstram a visão de futuro dos governos. Turismo é um negócio em crescente evolução. Dados da OMT mostram que o turismo mundial movimentou 840 milhões de turistas em 2006, gerando receitas de US$ 735 bilhões. O crescimento foi de 4,9% em relação ao ano anterior. O mercado de turismo se aquece mais e mais a cada ano, à medida que aumenta a confiança do turista em conhecer novos destinos de férias e os preços dos transportes caem progressivamente.

No Brasil a situação não é diferente. Privilegiado pela natureza e distante de problemas que afetaram o turismo mundial nos últimos anos — como o terrorismo, as catástrofes naturais na Ásia e epidemias como a gripe aviária —, o país tem apresentado resultados positivos desde 2003, com forte aceleração e crescimento de cerca de 14%, até 2006.

Aumento do PIB e condições favoráveis de pagamento, aliados a uma inflação baixa, fizeram com que o turismo doméstico ganhasse fôlego. A família brasileira passou a gastar mais em entretenimento, e houve uma alteração do perfil de hospedagem. O aumento do poder aquisitivo e dos investimentos fez com que a rede hoteleira captasse turistas que antes ficavam em casas de amigos e parentes.

Mas ainda há desafios enormes a serem vencidos para que o Brasil explore todo o seu potencial. Soluções de longo prazo para a recente crise aérea, novos investimentos em infra-estrutura, potencialização das rotas internacionais com vôos diretos, organização de eventos internacionais e desenvolvimento de pólos turísticos integrados e ambientalmente adequados são algumas das ações necessárias.

Mas tudo isso é viável, possível e provável, a julgar pelos esforços que indústria e governo têm demonstrado, como a iniciativa de dotar a Região dos Lagos de um aeroporto de excelência. Esforços que somados às características únicas do Brasil como produto turístico apontam para um horizonte promissor e de sucesso, com benefícios para toda a economia brasileira. E para brasileiros e estrangeiros que terão mais oportunidades de conhecer lugares tão especiais e únicos como os que o Brasil esbanja.

JANYCK DAUDET é hoteleiro.

Um comentário:

Imóveis disse...

Já assinei o RSS.
Muito bom, gostei do blog! Parabéns