quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Vereador antisemita nega Holocausto no Rio de Janeiro


O Nazista Wilson Leite Passos protestou na última quinta-feira contra a aprovação do Projeto de Lei de minha autoria que obriga as escolas da rede Municipal a ministrarem noções do que foi o Holocausto Nazista nas aulas de história.

O anti-semita chegou ao cúmulo de negar a existência do Holocausto, afirmando:

“Não se pode impor as nossas crianças que aceitem como algo consagrado este ou aquele assunto que ainda está sendo debatido e discutido. Não faço esta manifestação como uma posição de agravo aqueles que procuram fazer do chamado Holocausto um assunto de grande importância para o conhecimento da Sociedade. É apenas para impedir que as nossas crianças sejam obrigadas a aceitar como fato consagrado a existência do Holocausto quando ainda existem dúvidas e discussões variadas em todo o mundo.”

Cabe esclarecer que todos os vereadores presentes à sessão não somente votaram favoravelmente ao meu projeto, como também aplaudiram entusiasticamente as minhas palavras de contestação ao que afirmava o anti-semita, quando declarei:

“Senhor Presidente, Senhores Vereadores, eu não sabia que na Câmara de Vereadores existia um louco como o presidente do Irã, Ahmadinejad que nega a existência do Holocausto. Esta é uma atitude completamente insane. Afirmar neste microfone, que é irrelevante o assassinato de seis milhões de pessoas, só um insano poderia fazer este tipo de declaração. Mas o que esperar de um vereador que apresentou Projeto de Lei propondo a eugenia, a raça pura...”

Peço aos Senhores Vereadores que aprovem o meu projeto, que visa ensinar às nossas crianças, o que foi o regime nazista que impôs o terror ao mundo e promoveu o assassinato bárbaro de seis milhões de judeus.

Lamento profundamente a posição contrária ao meu projeto, de um Vereador que, como eu disse há pouco, é um insano e peço que suas palavras sejam censuradas, para que a Sociedade que nos assiste não pense que esta é a posição da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Cabe ainda esclarecer que o louco Wilson Leite Passos fez questão que ficasse registrado o seu voto contrário.

Nestes momentos difíceis, mais uma vez, deixo para sua reflexão o quanto é importante ter representação judaica em todos os parlamentos, acima de tudo, uma representação identificada e corajosa, sem medo de dizer o que pensa.

Teresa Bergher - Vereadora

2 comentários:

Geraldo P. disse...

Ontem por coincidencia assisti a um documentário sobre a 2.a guerra mundia produzido pelo American Intitute for Education. Houveram 55 milhoes de mortos na 2.a guerra, dos quais 30 milhoes foram pessoas civis, dos quais 20% foram os judeus no Holocausto. Me causa indignacao e até revolta a atitude do vereador Wilson Leite Passos que se recusa a aceitar a HISTÓRIA como ela foi, por mais terrível que seja.

Atitudes como a da vereadora Teresa Bergher contribuem para o aprimoramento da nossa sociedade moderna, ajudando a melhorar a o sistema educacional brasileiro, alertando os nossos futuros alunos sobre regimes fascitas e tiranos no mundo e sua consequencias.
Geraldo P.

Rubens disse...

Meus parabéns ao vereador Wilson, que não deixou mais essa mentira perpetuar!